Clientes CityCorp batem recorde de vendas no primeiro trimestre de 2018

Novos projetos garantem receita superior a R$ 500 milhões já nos primeiros 3 meses do ano

A base de clientes industriais da CityCorp América Latina comemora o fechamento do primeiro trimestre de 2018 com a quebra de mais um recorde de vendas no mercado industrial.

Conforme explica Licio Melo, diretor comercial responsável pela área de consultoria em vendas industriais da empresa, durante os meses de janeiro, fevereiro e março as vendas de todos os clientes ativos em carteira cresceram 11,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

O resultado positivo foi impulsionado especialmente pelas empresas que iniciaram suas atividades no mercado paraguaio até o primeiro semestre de 2017, pois ampliaram suas exportações em mais de 20% para o mercado Europeu, China e América do Norte.

O especialista em vendas industriais afirma que o setor Agro iniciou o primeiro trimestre fechando importantes projetos pois a demanda em 2018 será recorde, ele informa que o País deverá colher a segunda maior safra de grãos da história, com uma produção de 229,5 milhões de toneladas.

O decréscimo em relação à safra passada, que atingiu 237,7 milhões de toneladas, é estimado em apenas 3,4%. Entre março e abril, a estimativa de safra aumentou 1,5%, o que corresponde ao aumento de 3,5 milhões de toneladas da produção de grãos.

O especialista em vendas industriais apresenta os resultados positivos do portfólio de clientes da empresa em reunião trimestral com a equipe.

No setor de celulose segundo Licio está havendo uma movimentação sem precedentes no mercado, a Suzano deverá após a compra da Fibria por R$ 29 bilhões ainda manter seus planos de construção de mais uma planta fabril no estado de São Paulo, isto está criando uma nova cadeia de fornecedores locais que estão vendendo dezenas de projetos e análises estruturais para este nicho de clientes.

Ainda neste mercado, a Klabin, também fabricante de celulose, papel para embalagens e embalagens de papel, voltou a produzir no ritmo pré-crise. As 17 fábricas da companhia no Brasil operam hoje a plena carga. Entre papel e embalagens, a capacidade das fábricas soma 2 milhões de toneladas por ano.

Clientes que atuam no setor de motos estão colhendo excelentes resultados, neste mercado o mês de março manteve a expansão de produção e vendas de motos no Brasil iniciada no segundo semestre do ano passado.

No terceiro mês do ano, as vendas diárias ficaram em 3,7 mil unidades, com 21 dias úteis. O volume representou uma alta de 7,9% sobre fevereiro e 4,8% em relação ao mesmo mês de 2017.

O mercado externo continua garantindo expansão dos fabricantes de motos no Brasil. As vendas externas em março subiram 31,4% sobre fevereiro, com o embarque de 9 mil unidades.

Nosso portfólio do setor de embalagens está alinhado com os resultados positivos também deste mercado, até o momento as expedições de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado mantêm a trajetória de crescimento no início deste ano e totalizaram 304,828 mil toneladas em março, com expansão de 2,1% na comparação anual. Frente a fevereiro, houve expansão de 13,2%.

No setor químico a demanda de uso industrial no Brasil cresceu 6% no ano passado e essa expansão foi atendida sobretudo pelas importações, que avançaram 21,1%, clientes CityCorp deste segmento vem conseguindo alto desempenho de vendas atendendo o mercado automobilístico com estratégias inovadoras para este mercado.

O especialista confirma que os clientes industriais que fazem parte da cadeia produtiva do setor Automotivo foi a que mais cresceu em vendas, neste mercado a produção, vendas e exportações subiram no 1º trimestre, produção subiu 14,6%, vendas 15,6% e exportações 22,3%.

Neste setor os investimentos simplesmente não cessam, o que está movimentando milhões em novos projetos e muita rentabilidade para nossos clientes.

Temos a fábrica da N.A.L. Brasil, subsidiária nacional criada pela marca, vem recebendo investimentos de R$ 221 milhões, a Caoa Chery que terá duas plataformas no Brasil, o último ciclo de investimento da Ford no Brasil, de US$ 4,5 bilhões, começou a ser aplicado em 2010 e foi encerrado em 2015, a empresa já está finalizando seu novo ciclo e nossos clientes industriais já estão preparados para ganhar mais essa fatia de investimentos diretos.

A Volkswagen já confirmou o investimento de R$ 7 Bilhões na região, a AL-KO fabricante alemã de chassis e eixos para reboques está investindo R$ 2,5 milhões em uma operação própria no Brasil, uma nova fábrica de baterias para automóveis elétricos, uma nova planta para a fabricação de veículos utilitários, são centenas de novos projetos e investimentos industriais acontecendo semanalmente.

Este segmento está gerando dezenas de novos projetos e investimentos neste nova retomada do mercado industrial brasileiro e simplesmente revertendo o caixa de nossos clientes que estão preperados desde 2017 e com seus HPIS em dia.

Todos estes investimentos industriais diretos vem impactando de forma positiva o setor de refrigeração industrial, serviços, metal mecânico, plástico e demais cadeias.

De acordo com o especialista as empresas que vem formando equipes comerciais que entendam o novo formato de compra do mercado industrial brasileiro está simplesmente atingindo níveis altíssimos de lucratividade em seus projetos.

No setor da máquinas e equipamentos as demandas por maior produtividade e redução nos custos operacionais e administrativos aumentaram a venda de projetos para ampliação de parques fabris em todos os segmentos industriais.

Clientes da CityCorp que fabricam máquinas alinharam projetos com benefícios diretos a este mercado, deixando claro benefícios que o mercado industrial pode ter ao adotar ferramentas e tecnologias que proporcionem inovação e a gestão otimizada de suas linhas fabris dentro das novas tendências da Indústria 4.0. Clientes deste setor foram responsáveis por venderem mais de R$ 182 milhões apenas nos primeiros 90 dias do novo ano.

Ele diz que cliente CityCorp cresce com crise ou sem crise pois trabalha com parâmetros de inteligência comercial, relacionamento e pró-atividade, elementos que aplicados da maneira correta são a garantia de bons resultados em qualquer ambiente de negócios.

Outro ponto positivo para 2018 é a recuperação do mercado de trabalho, iniciada em 2017, deve intensificar-se em 2018, em especial com a criação de mais postos de trabalho.

Recuperação do mercado de trabalho, iniciada em 2017, deve intensificar-se em 2018, em especial com a criação de mais postos de trabalho

A perspectiva positiva deve-se ao maior crescimento da atividade econômica esperado para o ano, bem como pela melhora no ambiente de negócios proporcionada pela modernização das leis trabalhistas. O crescimento da ocupação no primeiro bimestre do ano, quando comparado com igual período do ano passado, corrobora essa perspectiva.

O setor de energia solar vem oferecendo centenas de oportunidades industriais diariamente, novas usinas e projetos tem gerado milhões em investimentos diretos no mercado brasileiro. De acordo com Licio o investimento mundial em energia solar voltou a bater em 2017 um novo recorde, com US$ 160,8 bilhões, 18% mais que em qualquer outra energia (renovável, fóssil ou nuclear), e com a China à frente nesse terreno.

A China também lidera o investimento em energias renováveis, com US$ 126,6 bilhões, 31% mais que em 2016. Junto com o gigante asiático, Austrália, México e Suécia também aumentaram seus investimentos em energia renovável em 147%, 810% e 127% mais que em 2016, respectivamente. Clientes da CityCorp do setor de engenharia estão simplesmente surfando nesta onda fechando projetos milionários mensalmente.

O cenário de crise no mercado industrial foi benéfico segundo Licio Melo, pois a crise é um depurador natural que faz com que empresas entendam que é preciso se renovar diariamente, alinhar equipes, estratégias e ações comerciais.

No mercado industrial as oportunidades surgem todos os dias pois as indústrias estão renovando sua cadeia de fornecedores e quem souber como funciona este mercado estará sempre fechando grandes negócios.

O especialista finaliza dizendo que 2018 já é o ano da retomada de todos os principais setores industriais e que os clientes CityCorp com certeza irão bater todos os recordes de vendas industrias até o fim do ano.

Fonte – BVMI – Leandro Munhoz

Dica do BVMI – Seja um cliente CityCorp e mude seus resultados ainda em 2018, acesse Fale Conosco.

#industrialsales
#vendasindustriais
@LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: