Codemig confirma investimento de R$ 145 milhões em novo laboratório-fábrica

Expectativa de 5 mil novos empregos em planta que terá capacidade de produzir cem toneladas por ano de ímãs de alta potência

A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) confirmou ao BVMI o início do projeto de instalação do primeiro laboratório-fábrica de ímãs de terras raras no Brasil. A fábrica terá capacidade inicial para produzir cem toneladas por ano de ímãs de alta potência, com aplicações principalmente no segmento de refrigeração. Os investimentos na construção da fábrica estão calculados em R$ 35 milhões e, no total, o projeto custará R$ 145 milhões.

“Será um projeto público com parceiros privados, não estamos criando uma estatal do ímã”, diz Marco Antônio Soares Castelo Branco, presidente da Codemig.

O governo mineiro ainda busca incorporar parceiros na empreitada. O projeto foi concebido em parceria com a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi), organização de pesquisa e desenvolvimento ligada à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Castelo Branco diz que o objetivo do laboratório-fábrica é desenvolver tecnologias e aplicações em óxidos de terras raras e a expectativa é agregar parceiros empresariais. O primeiro acordo foi firmado com a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), produtora de nióbio em Araxá (MG). O processo produtivo do nióbio acumula rejeitos de monazita, uma fonte da qual pode ser extraída os elementos de terras raras.

De acordo com o diretor da CBMM, Clovis Souza, a companhia já detém a tecnologia da produção do óxido de terras raras, mas ainda não faz uso comercial do material.

O laboratório-fábrica será erguido em Lagoa Santa, na Grande Belo Horizonte, com previsão de inauguração no segundo semestre de 2018. Segundo Castelo Branco, a demanda brasileira é de 1.200 toneladas anuais de ímãs de alta potência e o objetivo em longo prazo da fábrica é chegar a uma produção de 500 toneladas por ano.

O especialista em vendas industriais Licio Melo informa que está auxiliando alguns clientes do setor para participação na cadeia de fornecedores para este projeto em específico. Segundo Licio para a definição do local de instalação do laboratório-fábrica, foi realizado estudo locacional entre áreas disponíveis para a Codemig, considerando-se critérios variados, como condições do terreno, infraestrutura da cidade, facilidade de transporte, proximidade a aeroportos e a institutos de pesquisas e universidades, que terão apoio importante na implantação do empreendimento.

Licio Melo, especialista em Vendas Industriais confirma que investimento no projeto deve superar os R$ 170 milhões.

Licio Melo, especialista em Vendas Industriais confirma que investimento no projeto deve superar os R$ 170 milhões.

Em relação à perspectiva de geração de empregos, ainda de acordo com o especialista a própria Codemig deixa claro que a projeção de 5.634 vagas diretas e indiretas de trabalho foi baseada em metodologia de cálculo fornecida pelos estudos contratados pela Codemig. Tal metodologia de mensuração do potencial de impacto socioeconômico levou em conta o valor e o período do investimento, bem como o setor econômico no qual o projeto se insere.

Foram considerados, portanto, os multiplicadores do setor de Extração de Minérios de Metais Preciosos e Terras-Raras e o investimento de R$ 175,5 milhões em cinco anos. Dos 5.634 empregos estimados, o laboratório-fábrica deve empregar, diretamente, cerca de 50 pessoas no período de cinco anos.

O especialista confirma que já foram investidos até o momento R$ 3 milhões, referentes ao serviço de elaboração do Plano de Negócio e do Projeto Executivo do laboratório-fábrica. Do valor estimado de R$ 80 milhões para a construção do laboratório-fábrica de ímãs de terras raras, a Codemig tem hoje o processo de licitação para a obra civil aberta, com uma estimativa de investimento no valor R$ 33,6 milhões.

O valor que completa os R$ 80 milhões refere-se à compra de equipamentos da fábrica e do laboratório, que será realizada em seguida. Junto com o estudo de viabilidade técnica, econômica, comercial e ambiental para o laboratório-fábrica, foi realizado um estudo preliminar para uma unidade industrial.

Um estudo mais robusto deverá ser realizado depois dos primeiros anos de operação do laboratório-fábrica, já que uma das metas deste empreendimento é viabilizar o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva, desde a produção dos óxidos até a produção de motores elétricos e turbinas eólicas, por exemplo.

Licio finaliza informando que o tamanho da área construída finalizada no projeto executivo do laboratório-fábrica é de 5.160 m², em uma área de 9,6 mil m2 com a previsão de inauguração para outubro de 2018.

O processo de licitação para a obra de construção do laboratório-fábrica de ímãs de terras-raras está em andamento na Codemig (Concorrência 10/2017), com edital e demais documentos disponíveis no link DETALHES DA LICITAÇÃO. A planta terá capacidade de produção de aproximadamente 100 toneladas de ímãs.

O projeto conta com a participação da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), do Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Nuclear (CDTN) e da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi), consolidando a parceria com essas instituições, além das empresas Imag e Brats.

Fonte – BVMI – Camila Cocielo – CBMM – Codemig – Valor Online

Dica do BVMI – Trabalhe na CBMM, acesse “Deixe o seu currículo conosco”, veja as oportunidades em aberto, cadastre seu CV, desejamos a todos boa sorte nos negócios e em seu processo de recolocação!

#industrialsales
#vendasindustriais
@LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: