O que você quer em sua indústria? Produção, vendas, status… Acorde enquanto é tempo!

Ficar sentado esperando clientes caírem no colinho? Esse paraíso acabou. Por outro lado inflação em baixa, PIB dando sinais de vida, este é o momento de acordar.

O modo de trabalhar o mercado industrial mudou e tem muito gestor e diretor da área que simplesmente ainda não acordou para essa nova realidade. Feiras industriais que custam uma fortuna, fotos, abraços e sorrisos largos não pagam mais as contas e muito menos garantem ganhos de mercado e faturamento sustentável.

Eu concordo, antes era muito mais simples, poucos concorrentes, cobertura geográfica definida, era só montar um parque fabril com uma boa e enxuta produção, fazer o melhor preço, montar uma rede de representantes e Voilà! bora encher os bolsos de grana!

Sinto informar, esse mercado industrial acabou e tirando a crise fulminante, tenho presenciado a falência de muitas indústrias que ainda persistem com essa visão simplória e caricata em seu processo de gestão comercial.

O que? Preparar equipe comercial? Capacitar funcionários? Montar um departamento de inteligência que dê apoio estratégico ao vendas? Você está louco? Muitos industriais simplesmente afirmam isso na minha cara sem nem ao menos se ruborizar. Para logo depois serem triturados no mercado e assistirem décadas de trabalho simplesmente virarem pó colocando a culpa na sorte, no governo ou nas políticas industriais de pai pra filho que só dão privilégios aos amigos do rei.

Chega deste pensamento tacanha, mesquinho, o mercado está um lixo e ninguém aqui está negando a realidade, agora existem saídas claras e ações precisam ser tomadas o mais rápido possível, é hora de acordar.

Vamos aos números da realidade de mercado, o nível de atividade da economia brasileira registrou alta de 1,31% em fevereiro deste ano na comparação com o mês anterior. A chamada “prévia do PIB”, consolidada no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), foi divulgada nesta semana pelo Banco Central.

Analisando a Variação mensal da produção física da indústria é possível verificar que a prévia já se reflete diretamente neste dado:

Variação mensal da produção física da indústria indica retomada do mercado.

Variação mensal da produção física da indústria indica retomada do mercado.

A comparação já leva em conta as diferenças sazonais entre os períodos analisados. Sem descontar esses ajustes, o indicador cresceu 0,52% em fevereiro. Em relação a fevereiro de 2016, porém, foi observada queda de 0,73% sem ajustes sazonais, já que considera períodos iguais. Com ajustes, houve crescimento de 0,48%.

Para a “inflação oficial do país”, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a estimativa caiu de 4,09% para 4,06%, a sexta queda consecutiva. Para 2018, a previsão do mercado para a inflação recuou de 4,46% para 4,39%. Com isso, manteve-se a expectativa de que a o indicador ficará abaixo da meta central, que é de 4,5% neste e no próximo ano.

Inflação em baixa, PIB dando sinais de vida, este é o momento do gestor industrial se preparar para a virada, quanto mais ficar esperando “as coisas melhorarem” maior será o nível de dificuldades. A concorrência industrial hoje não dorme, equipes preparadas, estratégia definida e plano de ação em prática na busca de novos mercados e clientes industriais, esta deve ser a mecânica a ser aplicada para ontem em todas as indústrias brasileiras.

Por enquanto é isso amigos, vou nessa pois meus clientes industriais não dormem e querem faturar mais de R$ 300 milhões ainda em 2017 (só faturaram R$ 70 milhões neste trimestre, tadinhos…) não posso deixá-los frustrados, pois na indústria o que conta é resultado o resto é conversinha pra boi dormir.

Um fraternal abraço e até o próximo artigo.

Me siga no Twitter e vamos faturar no mercado industrial – @LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: