BMW confirma investimento de € 300 milhões em ampliação de fábrica de elétricos

Unidade de Leipzig terá capacidade aumentada para 350 mil unidades por ano até 2020

O Grupo BMW confirmou ao BVMI que está investindo € 300 milhões para expansão de sua capacidade produtiva em sua planta em Leipzig, na Alemanha, que aumentará das atuais 250 mil para 350 mil unidades por ano até 2020. As ações de modernização já estão sendo realizadas nas áreas de funilaria, pintura, montagem e logística.

Além disso, o plano é preparar todas as fábricas do grupo para integrar os veículos elétricos às linhas de montagem, para produção simultânea de carros a combustão, híbridos e elétricos.

Este ano, a empresa estima que a linha da família BMW i de elétricos em Leipzig acelere o ritmo de 130 para 200 unidades por dia.

A unidade em território da antiga Alemanha Oriental foi especialmente reestruturada para produzir elétricos, começou com o i3 em 2013 e posteriormente o superesportivo híbrido i8 em 2014, que ganhou versão roadster este ano.

Entre as mudanças da planta, a área de pintura é a que sofrerá mais intervenções: ganhará novos edifícios que agregam ao setor quase 12 mil metros quadrados.

Terá uma segunda linha de pintura (de camada superior) totalmente automatizada e um novo sistema de pré-tratamento e mergulho, que juntos, aumentando a capacidade em 40%.

A introdução de tecnologia IPP (processo de pintura integrado) reduzirá o consumo de energia em 15% por unidade, e o consumo de água em cerca de 30%, enquanto a produção de águas residuais reduzirão em algo como 45%. No médio prazo, estas tecnologias também serão integradas na linha de pintura existente.

Serão introduzidos quase 500 robôs industriais de última geração e a montagem está sendo atualizada com novo sistema de teto panorâmico.

A linha será estendida em 3,5 mil metros quadrados para a criação de estações de trabalho adicionais necessárias para montar futuros modelos.

Estão em andamento preparativos para o uso direcionado de sistemas de colaboração entre humanos e robôs, que não requerem barreiras de proteção e, portanto, permitem que os robôs ajudem os funcionários de forma ainda mais próxima. Um desses sistemas já está em operação, na montagem dos para-brisas do BMW i3.

Por fim, a logística terá um projeto para o transporte livre de emissões com ajustes e melhoras para sistemas de fluxo de material.

“Com as medidas que estamos introduzindo agora em Leipzig devemos tornar a fábrica ainda mais flexível e, acima de tudo, mais eficiente para mantê-la competitiva no futuro”, disse o membro do board da BMW para produção, Oliver Zipse.

“Estamos levando o conhecimento inestimável da planta de Leipzig para instalações em toda a nossa rede de produção. A produção atual do BMW i3 e do BMW i8, em estruturas independentes, continuará inalterada. A longo prazo, Leipzig irá gradualmente se desenvolver, capitalizando as oportunidades da digitalização e se tornando mais flexível para permitir que veículos com qualquer tipo de motor sejam produzidos juntos em uma única linha de montagem”, destacou o diretor da fábrica Hans-Peter Kemser.

A planta do Grupo BMW em Leipzig começou a produzir em março de 2005, com 2 mil funcionários. Outros 3,3 mil empregos foram criados desde então, elevando o total para mais de 5,3 mil.

Desde que a operação começou mais de 2,3 milhões de veículos saíram das linhas de produção em Leipzig, e os investimentos totalizaram aproximadamente € 3 bilhões.

Fonte – BVMI – REDAÇÃO AB

Dica do BVMI – Trabalhe na BMW Niederlassung Leipzig, acesse “Karriere”, envie seu CV, desejamos a todos boa sorte nos negócios e em seu processo de recolocação!

#industrialsales
#vendasindustriais
@LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: