Colorcon investe R$ 40 milhões em fábrica

A nova planta é a décima primeira unidade industrial da empresa no mundo

A Colorcon inaugurou na última quinta-feira na cidade de Indaiatuba-SP, sua primeira fábrica no País. Como noticiado com antecedência pelo BVMI o projeto em desenvolvimento desde 2013 recebeu investimentos da ordem de R$ 40 milhões.

A planta é a décima primeira unidade industrial da empresa no mundo e a sétima dedicada exclusivamente aos sistemas de revestimento para comprimidos, de acordo com o CEO Global da Colorcon, Martti Hedman.

“O Brasil enfrenta um período econômico desafiador, mas a visão da Colorcon é de médio e longo prazo”, disse ele, destacando que o segmento farmacêutico possui potencial no Brasil.

Martti Hedman é o CEO Global da Colorcon.

Martti Hedman é o CEO Global da Colorcon.

“A empresa enxerga o potencial do Brasil e da América do Sul”, acrescenta o executivo. A região representa, atualmente, cerca de 10% do faturamento global da companhia. Segundo ele, com a nova instalação, no interior paulista, a expectativa da Colorcon é de um crescimento de dois dígitos já no próximo ano.

“O investimento de R$ 40 milhões na planta de Indaiatuba é o maior já realizado pela Colorcon na América Latina. Temos estrutura e estamos confiantes para o crescimento da companhia dos próximos cinco a sete anos”, observou.

A fábrica paulista deve estar em plena operação até o mês de outubro, com capacidade para produção de mil toneladas métricas de filmes de revestimento por ano, prevê o CEO da companhia.

Ele destaca que a planta será importante para proteger a cadeia de abastecimento dos clientes da Colorcon, com capacidade de fornecer e exportar revestimentos de película com a mesma qualidade do produto fabricado nas outras seis unidades da empresa ao redor do mundo. Ao todo, a empresa tem 10 fábricas e 19 laboratórios de serviço técnico no mundo todo, além de mais de 1,2 mil colaboradores.

“A nova fábrica vai reduzir os riscos de atrasos com importação e logística, permitindo que os nossos clientes usufruam de prazos mais curtos em todo o processo de revestimento de película”, acredita Hedman.

Antes da construção da primeira unidade industrial no País, a Colorcon importava diretamente os sistemas de revestimento, tecnologias de liberação modificada e excipientes funcionais para a indústria farmacêutica. Há 17 anos no mercado brasileiro, a empresa contava apenas com um Laboratório de Serviços Técnicos, localizado em Cotia, na Grande São Paulo.

Hedman complementa que a unidade fabril de Indaiatuba vai produzir revestimentos de película para os mercados farmacêutico, nutricional e veterinário do Brasil e deve exportar também Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai.

Fonte – BVMI – Licio Melo – Vanessa Stecanella/DCI

Dica do BVMI – Trabalhe na Grupo Colorcon, acesse “CAREERS” e cadastre seu CV, desejamos a todos boa sorte nos negócios e em seu processo de recolocação!

#industrialsales
#vendasindustriais
@LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: