Com investimento de R$ 2,6 bilhões Scania abre 500 vagas

Exportações para 30 mercados permitiram crescimento da produção, seleção começa HOJE

A Scania está abrindo cerca de 500 vagas na linha de montagem como consequência do aumento das exportações. A seleção dos metalúrgicos começa hoje quarta-feira, 24.05. A maioria trabalhará na produção. “Esperamos ter os novos colaboradores até o fim de maio. E para atender a demanda vamos também aumentar os turnos de produção”, diz o vice-presidente de logística da fabricante, Marcelo Gallão.

A montadora instalada em São Bernardo do Campo-SP vem procurando novos mercados desde 2014, com o desaquecimento das vendas internas. Atualmente, a empresa envia seus caminhões e ônibus a cerca de 30 países na soma de América Latina, Oriente Médio, África do Sul e Ásia. “Como temos um produto global e fábricas padronizadas em todo o mundo foi possível direcionar nosso volume para atender a demanda de outros países”, recorda Gallão.

Historicamente, o mercado interno representava 70% da produção da Scania no ABC e os 30% restantes eram exportados. “Essa proporção foi invertida. Mas os níveis não correspondem aos mesmos, quando, por exemplo, em 2013, o Brasil bateu recorde de emplacamentos no País”, diz Gallão.

Rogério Rezende é o diretor de assuntos institucionais e governamentais da Scania Latin America.

Rogério Rezende é o diretor de assuntos institucionais e governamentais da Scania Latin America.

Os caminhões exportados por todas as empresas instaladas no País somaram 8,3 mil unidades no primeiro quadrimestre, registrando alta de 43,3% sobre o mesmo período do ano passado.

A Scania, como informado pelo BVMI com antecedência dá continuidade a seu investimento de R$ 2,6 bilhões em suas operações no mercado brasileiro. O programa de investimento da fabricante sueca teve início no ano passado e vai até 2020, com recursos que serão destinados ao desenvolvimento de novos produtos, atualização e modernização do parque industrial de São Bernardo do Campo, bem como à rede de concessionárias.

“Chegamos ao Brasil em 1957, quando ocupávamos um escritório na Rua Líbero Badaró, no centro de São Paulo. De lá fomos para um galpão na Rua Guaramiranga, na Vila Carioca. Em 1962 houve a transferência para São Bernardo do Campo, a construção da fábrica de motores e o nascimento do primeiro Rei da Estrada no País, que abriu o caminho para uma trajetória promissora”, conta Rogério Rezende, diretor de Assuntos Institucionais e Governamentais da Scania Latin America. “Sem visão de longo prazo, essa história não teria sido possível.”

Os investimentos programados asseguram a continuidade da evolução tecnológica da unidade brasileira, e a Scania reforça a estratégia de manter o Brasil como um espelho da Suécia. “Continuamos investindo no que há de melhor em tecnologia do setor automotivo, e isso reforça o compromisso com o País e com um sistema de transporte sustentável”, ressalta Rogério. “Não podemos apenas olhar a situação de hoje ou do próximo ano, pois quando falamos de investimentos temos de olhar para 10 ou 20 anos à frente.”

Segundo Rogério, a decisão de fincar no Brasil a primeira fábrica fora da Suécia provou-se acertada. “Hoje estamos presentes de norte a sul, leste a oeste – nas estradas e vias das cidades do País. São seis décadas de atividades marcadas pelo pioneirismo, responsabilidade social e ambiental, respeito às leis, aos seus clientes e colaboradores”, diz.

Exportar é uma das saídas para a crise

O especialista em vendas industriais Licio Melo confirma ao Blog que uma das estratégias utilizadas em seu portfólio de clientes industriais vem sendo a abertura de canais de venda no exterior sem moderação, até mesmo com a instalação de plantas fabris em outros mercados. Esta é uma das alternativas utilizadas em seu planejamento de ação estratégico e que as montadoras vem utilizando com sucesso em meio a uma recessão nunca vista.

Um dos erros cometidos com frequência segundo ele é a falta de expertise no processo comercial da indústria, não basta apenas participar de feiras internacionais para conseguir boas oportunidades, é preciso um trabalho pró-ativo com uma equipe preparada com expertise e que saiba atuar com vendas técnicas de forma exclusiva ao mercado industrial.

Segundo ele as exportações das montadoras passaram a ser, em 2016, uma válvula de escape para salvar os números de vendas. De todos os carros, caminhões e ônibus fabricados de janeiro a julho, 22% foram enviados ao exterior, se este o maior nível desde 2007.

Licio Melo confirma que falta de expertise em vendas industriais é um dos maiores desafios.

Licio Melo confirma que falta de expertise em vendas industriais é um dos maiores desafios.

Em 2012, ano que a produção de veículos bateu recorde, apenas 13% das unidades tiveram o mercado externo como destino. O menor nível, no entanto, ainda estava por vir: em 2014, as exportações caíram a 10% da produção. A diferença é que, naquele ano, as vendas domésticas já perdiam força, com uma queda de 7,15% em comparação com 2013. As montadoras concluíram, então, que era preciso aumentar a participação no mercado externo para compensar o enfraquecimento no mercado interno.

Com essa mudança necessária de estratégia Licio diz que os resultados apareceram já em 2015. Enquanto a produção teve queda de 22,9% e as vendas internas recuaram 26,6%, as exportações cresceram 24,9%. Com isso, o mercado externo passou a representar 17% de todo o volume produzido.

O especialista garante também que o setor de autopeças precisa acordar rapidamente para esta necessidade, hoje esta cadeia produtiva fechou 2016 com déficit de US$ 5,3 bilhões na balança comercial de autopeças. Enquanto os fabricantes locais geraram US$ 6,57 bilhões em faturamento com exportações, as importações de componentes somaram US$ 11,82 bilhões. Esta cadeia industrial deve mudar radicalmente sua forma de vender ou sofrerá pesadas consequências já no curto prazo finaliza Licio Melo.

Como encaminhar seu currículo

A Scania mantém uma página de recrutamento no Portal Vagas. O cadastro naquele site é totalmente gratuito. Ao acessar o link, clique em “Deixe seu currículo conosco”.

Segundo fontes consultadas pelo BVMI a empresa também deve selecionar mão-de-obra por meio de agências e das escolas profissionalizantes do Grande ABC.

Fonte – BVMI – Leandro Munhoz – Redação AB

Dica do BVMI – Trabalhe na Scania Group, acesse “Portal Vagas Scania” e cadastre seu CV, desejamos a todos boa sorte nos negócios e em seu processo de recolocação!

#industrialsales
#vendasindustriais
@LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: