JOANES INVESTIRÁ R$ 150 MILHÕES NA BAHIA

Investimento em novos projetos deve dobrar produção da fruta e gerar mais de 500 empregos

A Joanes (Olam) confirmou ao BVMI a ampliação da sua unidade de processamento de cacau em Ilhéus. Serão investidos mais de R$ 150 milhões com a previsão de geração de mais 500 novos empregos, de acordo com a direção da multinacional.

A Olam possui diversos negócios na Bahia, como a maior fazenda de pimenta do reino do mundo, em Porto Seguro. Assume mundialmente a vice-liderança nas exportações de café, com sua fazenda sediada em Luís Eduardo Magalhães.

Jaques Wagner e o vice-presidente da Olam, Srinivasan Kimdambi, assinaram o protocolo de intenções.

Jaques Wagner e o vice-presidente da Olam, Srinivasan Kimdambi, assinaram o protocolo de intenções.

Para firmar parceria entre o governo e a indústria, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner e o vice-presidente da Olam, Srinivasan Kimdambi, assinaram o protocolo de intenções que dobra a produção atual.

Serão mais de 80 mil toneladas por ano de cacau que deverão ser distribuídas, no Brasil e no mundo, na forma de derivados do cacau, como líquor, torta, manteiga e pó. “Temos recebidos diversos empresários dispostos a investir na Bahia, ampliando ou instalando novos empreendimentos, porque enxergam o potencial econômico do Estado. Estamos trabalhando para duplicar estradas e construir novos portos de escoamento”, explicou Wagner.

A intenção da Olam é expandir e diversificar produtos.

“Para isso investimos R$ 5 milhões em um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos em Ilhéus”,disse o vice-presidente da multinacional, Kimdambi.

O Brasil é um dos principais produtores de cacau, e temos operações espalhadas por Ilhéus, Itabuna e Altamira. Oferecemos uma grande variedade de produtos de cacau, incluindo manteiga de cacau, licor de cacau e cacau em pó. Uma marca aclamada de cacau na indústria de ingredientes alimentares da América Latina é Joanes.

Em novembro de 2016 a companhia marcou seu 70º aniversário, revelando um centro de Desenvolvimento e Inovação de Produto (PDI) na unidade de processamento de Ilhéus, onde os clientes em toda a América do Sul podem experimentar em primeira mão as oportunidades de desenvolvimento colaborativo de novos produtos, prova de conceito e aplicação existente Refinamento de receita.

O Brasil foi o primeiro país de operação da Olam na América Latina, começando com o comércio de caju em 2002. Expandiram em café, algodão, cacau, grãos, especiarias e ingredientes vegetais e soluções de gerenciamento de riscos. Com sede em São Paulo, a companhia possui mais de 900 funcionários espalhados por todo o país.

Fonte – BVMI – Licio Melo – Ascom/SDE

Dica do BVMI – Trabalhe na Olam International, acesse “CAREERS”, veja as oportunidades em aberto, cadastre seu CV, desejamos a todos boa sorte nos negócios e em seu processo de recolocação!

#industrialsales
#vendasindustriais
@LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: