John Deere investe R$ 80 milhões em nacionalização de tratores

Companhia também estuda ampliar sua divisão de construção no Brasil com a Wirtgen

Com ações agressivas em sua política de preços, a John Deere está desenvolvendo um projeto de expansão para sua divisão de construção no Brasil também através de uma parceria com a Wirtgen. De acordo com fontes do BVMI, o projeto de cooperação com a empresa alemã deve começar pela produção de rolos compactadores com selo Deere.

A estratégia tem como foco ampliar a percepção da marca Deere – considerada a maior fabricante de máquinas agrícolas do mundo – também no segmento de construção através da expertise da Wirtgen, comprada recentemente pela empresa norte-americana.

No Brasil, a Wirtgen já atua na linha de asfalto por meio de sua subsidiária Ciber, que fabrica rolos compactadores em Porto Alegre (RS) com a marca Hamm.

Licio Melo, especialista em Vendas Industriais confirma a possibilidade de que a Deere comece a fabricar o produto com o seu selo na fábrica de Indaiatuba-SP, que possui uma gama ampla de recursos sendo ainda mais moderna do que a planta da Ciber.

A produção local com conteúdo nacional é obrigatória para que suaa máquinas possam ser vendidas através do financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Finame. O crédito possui taxas mais baratas do que as praticadas por bancos comerciais.

Licio Melo diz que a Deere deve começar a fabricar o novo produto com o seu selo na fábrica de Indaiatuba-SP ainda este ano.

Licio Melo diz que a Deere deve começar a fabricar o novo produto com o seu selo na fábrica de Indaiatuba-SP ainda este ano.

Atualmente, a Deere fabrica pás-carregadeiras, retroescavadeiras e escavadeiras em suas duas plantas para o segmento de construção em Indaiatuba, inauguradas em fevereiro de 2014. Estes são os tipos de máquinas de movimentação de terra (segmento conhecido como linha amarela) mais vendidos do País e que possuem o maior número de fabricantes locais.

Aqui no BVMI você ficou sabendo com antecedência no início do ano passado que três modelos de tratores de esteira serão fabricados no Brasil a partir de janeiro de 2018. Os produtos, segundo a empresa, devem atender de 85% a 90% da demanda local. O investimento para a nacionalização dos tratores será de aproximadamente R$ 80 milhões.

O especialista confirma ao Blog que mesmo com produtos e serviços de alto valor agregado, a John Deere vem mantendo uma estratégia extremamente agressiva no mercado nacional na tentativa de aumentar o seu share. Licio Melo finaliza dizendo que:

“Com a crise que não dá trégua o nível de competitividade aumentou ao extremo no mercado brasileiro e a Deere baixou seus preços, começando a praticar linhas de crédito agressivas, porém, esta ação não vem surtindo o efeito desejado uma vez que a marca ainda possui uma participação baixa nas vendas deste mercado”.

A estratégia da empresa norte-americana para rolos compactadores terá que superar a forte queda do segmento de pavimentação que, segundo especialistas do mercado, é praticamente inexistente hoje.

Para o vice-presidente da entidade que reúne os fabricantes do setor (Sobratema), Eurimilson Daniel, o nível de vendas de máquinas de construção está muito baixo. “O cenário vinha melhorando para a nossa indústria, porém as recentes delações envolvendo políticos vieram como um balde de água fria”, avalia.

O dirigente da Sobratema salienta que, para os investimentos voltarem ao segmento da construção, o País precisa de estabilidade. “Para alavancar a nossa indústria, a tempestade política tem que passar”, acredita Daniel.

Daniel acrescenta que concessões de rodovias são os principais vetores de crescimento para o setor. “Porém, hoje, os investimentos estão parados”, complementa.

Após passar por um boom de investimentos em meados de 2011, o segmento de máquinas e equipamentos para construção começou a sofrer uma forte retração. De 2014 para cá, as vendas recuaram praticamente pela metade.

Para 2017, a Sobratema estima vendas de aproximadamente 9 mil unidades, alta de 5% a 6% em relação a 2016. “Porém, estamos acompanhando o mercado de perto, já que a instabilidade política ainda afeta o apetite por investimentos”, observa Daniel.

Os produtos da Wirtgen possuem alto valor agregado e tecnologia embarcada. A possível escolha da linha de rolos compactadores para fabricação local com selo John Deere seria para atacar um nicho mais específico, fugindo de modelos “espartanos” e com preços mais baixos.

Fonte – Camila Cocielo – Juliana Estigarríbia/DCI

Dica do BVMI – Trabalhe na John Deere, acesse “Ofertas de emprego“, desejamos a todos boa sorte nos negócios e em seu processo de recolocação!

#industrialsales
#vendasindustriais
@LicioMelo

Compartilhe essa notícia com seus contatos: